Tempo para ser feliz

"Existe apenas uma idade para semos felizes,
apenas uma época da vida de cada pessoa em que é possível sonhar,
fazer planos e ter energia suficiente para os realizar
apesar de todas as dificuldades e todos os obstáculos.

Uma só idade para nos encantarmos com a vida,
para vivermos apaixonadamente e aproveitarmos tudo com toda a intensidade,
sem medo nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que podemos criar e recriar a vida
à nossa própria imagem e semelhança,
vestirmo-nos com todas as cores,
experimentar todos os sabores
e entregarmo-nos a todos os amores
sem preconceitos nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo o desafio é mais um convite à luta
que enfrentamos com toda a disposição de tentar algo novo
e de novo quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na nossa vida
chama-se Presente
e tem a duração do instante que passa..."

Mário Quintão

2 comentários:

Rita disse...

Bina querida, esse texto do Mário Quintão é lindo demais, eu amo esse texto... mas eu não concordo 100%. Há tempo para também ser triste e para sofrer, negar isso seria, para mim, negar a minha própria humanidade. Feito aquela música:

Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque
já chorei demais
Hoje me sinto mais forte,
mais feliz, quem sabe
Eu só levo a certeza de que
muito pouco eu sei
Eu nada sei


Conhecer as manhas e as manhãs,
o sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar,
é preciso paz pra poder sorrir
É preciso chuva para florir


Penso que cumprir a vida
seja simplesmente
Compreender a marcha e ir
tocando em frente
Como um velho boiadeiro
levando a boiada
Eu vou tocando os dias pela longa
estrada eu vou
Estrada eu sou


Conhecer as manhas e as manhãs,
o sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar,
é preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir


Todo mundo ama um dia,
todo mundo chora
Um dia a gente chega, no
outro vai embora
Cada um de nós compõe a sua história
E cada ser em si carrega o
dom de ser capaz
De ser feliz

Um abraço cheio de amor.

Otilia Sabra disse...

Rita, querida,

Não me parece que ele negue isso.
Mas, de qualquer forma, creio que tens razão. Há espaço pra um pouco de tudo nas nossas vidas, aqui e agora. O problema é esquecer disso e deixar para viver depois...

Beijo de saudade!