Inseticida natural

Olho gordo, ou o acaso, o fato é que pela primeira vez, em anos, as plantas lá de casa foram tomadas por diferentes pragas.
Uma orquídea que floresce lindamente todo o ano e que está comigo há mais de 12 anos está com ferrugem. O bonsai de cerejeira, que estou fazendo há 3 anos a partir de uma muda da casa que por mais de 50 anos foi de meu avô, com colchonilha. Temperos morrendo... E eu sem querer pensar em usar inseticida.
Eis que encontro esse vídeo, com receita de inseticida natural, muito fácil de fazer.
Bora lá?


Cuidado com as plantas. Chegada da primavera!

<a href="http://gnt.globo.com/casa-e-decoracao/dicas/Como-cuidar-das-plantas-em-casa--infografico-da-as-dicas.shtml">Como cuidar das plantas em casa: infográfico dá as dicas</a>

Achei bem legal esse infográfico do GNT. Então, para celebrar a chegada da primavera, hoje, resolvi postar por aqui.

Presente para alguém

Para mim, presente é algo que alguém providencia para uma pessoa especial, pensando em cada característica dessa pessoa. Requer tempo, reflexão, muitas vezes planejamento.

Por isso, tenho horror a cheque-presente, cartão presente ou o que for.


Para a filha de uma amiga especial, que estava se formando, estava com dificuldades de "personalizar" a escolha. Isso até descobrir que a moça adora joaninhas. Que tem muiiitas coisas com o tema.


Então foi só botar a mão na massa, sair à cata de tudo o que pudesse colaborar com as criações, e preparar algo para ela.


O resultado foi a caixinha abaixo. Para cada nincho, um elemento especial. (clique na imagem para ver em tamanho grande e poder ler as descrições)



Por fim, a embalagem (que eu também acho que desempenha papel importante no ato de presentear, na medida em que mostra o carinho com que preparamos ou escolhemos o presente):


Receber

Acho uma delícia receber. Sempre gostei. Mas, até o ano passado, ficava difícil fazer qualquer coisa para juntar meia dúzia de viventes porque a casa era bem pequena.

Compramos, reformamos, e hoje somos os felizes mutuários de uma casa que tem espaço para receber!

Foi assim que, no último 31 de dezembro, passamos nosso primeiro Ano Novo em casa. :]

Como não podia deixar de ser, preparamos uma mesa especial, com toalha especialmente costurada para a ocasião, arranjos de flores, velas e muitas receitinhas práticas de comer, algo que pudesse deixar os convidados petiscando toda a noite, conversando, sem precisar necessariamente sentar à mesa.

Até mesmo a tradicional lentilha servimos em pequenas cumbuquinhas com colheres pequenas.

Para mim, um dos petiscos preferidos são tomatinhos cereja recheados. É bem fácil de fazer, embora, admito, requer certa paciência oriental.

Tira-se uma “tampinha” de cada tomate com uma faca afiada. Com colher bem pequeninha é preciso deixá-lo oco, retirando sementes. Depois, é só rechear. Na ceia de Ano Novo, optamos por recheio de queijo tipo quark com gorgonzola. Misturamos, temperamos (sal, azeite extra virgem, pimenta, ceboullete), colocamos em saco de confeitar e, com carinho, fomos recheando um a um os tomatinhos.

Delícia! Ah, tudo acima conjugado na 1ª pessoa do plural porque tive a dedicada colaboração de minha filha nos preparativos.

Entramos 2010 como de direito, como se pode ver. Tim, Tim!

Um bom souflé

Finalmente, com a ajuda de ramequins adequados - minha última aquisição para a cozinha :], e as maravilhosas técnicas do livro 400g Técnica de Cozinha de Betty Kövesi, Carlos Siffert, Carole Crema e Gabriela Martinoli (um verdadeiro achado bibliográfico gastronômico)-, fiz suflês perfeitos: corados, crescidos, firme e que não murcharam depois de retirados do forno!



Os meus eram de frango com espinafre.






Ai, ai. Estavam de lamber os beiços...






A cozinha nossa de cada dia


Mesmo para que gosta muito de cozinhar, como eu, às vezes fica difícil saber o que fazer quando se tem que fazê-lo todo dia, às vezes duas vezes por dia, não é?

É o problema da rotina, do dia a dia, que acaba nos levando à falta de criatividade.

Pra mim, muitas são as fontes de inspiração para tentar trocar esse disco e fazer do ato diário de cozinhar um prazer e fonte de surpresas e novidades. Uma delas, sem dúvida uma das mais eficientes, o Rainhas do Lar.

Que pique têm a Faby Zanelati e a Kátia Najara! Não tem tédio por lá não, minha filha. Visita, e assina o feed. Vai por mim: pode salvar o seu dia!

Foco

Sempre tive inveja de quem sabe exatamente o que quer fazer. Quem nasce com uma vocação e dedica-se aquilo quase à perfeição.
Gente que aos três anos já sabia que seria médico. Um artista plástico que segurou seu primeiro lápis-de-cor sobre o papel, revelando seu futuro. O jogador de futebol que já chutava uma bola antes mesmo de caminhar.

Eu não.

Eu sempre gostei de muuuitas coisas diferentes. No colégio era ótima em literatura e história, mas me saía igualmente bem em matemática, física e química.
Fiz ballet, piano, ginástica rítmica, cursos de artesanato dos mais variados, jardinagem, pesquisa. Adorava botânica, mas amava genética. Queria fazer teatro, arte, mas ensinava (e bem) a matemática em aulas particulares. Me saía bem na cozinha e organizava a contabilidade no meu trabalho. Gostava de cantar. E de dançar. Às vezes escrevia. Às vezes tricotava. Outras, consertava as tomadas da casa e aprendia a lidar com um novo software. Gosto de praticamente todos os tipos de música, filmes, livros, convites de lazer, viagens...

Passei um bom tempo, agora no verão, sem postar no flor de tília. Até hoje nem sei bem o que me fez cria-lo. Mas uma coisa me dei conta: todos os blogs que acompanho com fidelidade, quase que diariamente são muito específicos. Tratam de uma coisa. E o fazem bem, na minha opinião.

Foi refletindo sobre isso que resolvi organizar essa "zona".

O flor de tília agora será:
- Flor de Tília na estrada. Clique e descubra por que.

- Flor de Tília em casa. Este aqui, o primeiro. Vai tratar somente do que esteja relacionado a viver melhor no cantinho da gente: cozinha, artesanato(craft), faça você mesmo (DIY), saúde e bem estar.

Pronto. Acho que descobri e assumi as coisas que eu sei fazer melhor na vida. E é isso. O resto, como diz um amigo meu eu "cometo". Não sei se o farei bem, mas será o melhor de mim.

Bem-vindo ao lar.

Pequenos luxos e mimos


Estou de férias.
Em casa.
Chove.
Só eu e meu filho de 8 anos (marido trabalhando, filha, de 15, viajando).
Adoro cozinhar e comer. Mas adoro mais ainda o processo e seus rituais e a estética do prato, o bem servir.

Resultado: tivemos um almoço digno de refeição preparada por chef:

Filé mignon de novilho grelhado sobre manteiga de sálvia e alecrim (colhidos na "horta-vaso" de meu cantinho), servido sobre "caminha" de queijo brie derretido com nata fresca e, sob tudo, crostine do mesmo queijo;
Purê de batata doce;
Suco natural de maracujá com carambola, colocado em taças "bojudas", decorados com uma "estrela" de carambola e folhinhas de hortelã (da mesma horta-vaso) em canudo preto.
(Não tirei fotos, mas a que está ai em cima, do Bleu Restaurant, faz jus. Te mete!)

O melhor de tudo doi que o filho de 8 anos adorou a coisa toda, da maneira como o almoço foi servido, comendo e tomando tudinho.

Brindamos enquanto a chuvinha fina caía. Degustamos e nos divertimos...

Ai, ai. Coisa boa estar de férias. Em POA...

Língua Portuguesa

Em pleno início de implantação da reforma da Lingua Portuguesa escuto em dois importantes veículos de comunicação (um canal de televisão nacional e uma rádio local), da boca de dois inteligentes jornalistas as expressões: "(...)foi falta, claramente. O jogador foi seguro pela camiseta" e "aconteceu bem na hora que ele havia chego".

Se estes dois profissionais conseguem ser confundidos assim pelas regrinhas antiguinhas de uso do particípio o que irá acontencer com a tentativa de incorporar novas regras?!

Salto alto


Imagem: John Willie's Bizarre


Preparo-me para sair. Com o marido.
Banho, roupa, maquiagem... e agora? O mais difícil... sapatos!
Se pudesse, andava sempre descalça. É como fico sempre que estou em casa e a temperatura lá fora é maior que 10ºC.
Tenho horror a escolher sapatos. À exceção de um bom tênis, todos, a certa altura, tornam-se desconfortáveis.
Lembro de alguns comentários que já escutei por ai (amigos, rádio, televisão) sobre a diferença que faz um salto alto para a mulher. Tolinha, embarco nessa de fazer charme e coloco um sapato (lindo, por sinal - na prateleira...) cor de ameixa, salto plataforma delicado, e lá vou eu, abafando.
Meia hora depois já não sei o que fazer com meus pés. A dor é lancinante.
Passo a equilibrar-me desajeitadamente sobre eles.

Minha biblioteca, e últimas leituras, está recheada de autores chineses, que, saídos do país há duas décadas, começam agora a revelar ao mundo algumas das verdades do oriente que ignorávamos quase que por completo. Uma das descrições que aparecem em todas as obras que contam a histórias das gerações daquele país e que mais me apavora é o costume, não tão longinquo, de quebrar os ossos dos pés da menina, a partir de seus dois anos, enrolá-los em gaze, mantendo os dedos voltados para baixo. Isso porque a mulher que tivesse os pés maiores que 12cm era rejeitada pela sociedade e jamais conseguiria casar-se. A imagem frágil da mulher tentando equilibrar-se sobre os pés deformados e doloridos, em passos curtos, era adorada pelos homens.

Algo me diz que oriente e ocidente não estão assim tão distantes.

Louca pra chegar em casa e massagear os pés com Shiatsu!

2009

RECOMEÇAR

Não importa onde você parou.

Em que momento da vida você cansou.
O que importa é que sempre é possível e necessário recomeçar.
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo.

É renovar as esperanças na vida e o mais importante.
Acreditar em você de novo.
Sofreu muito nesse período?

Foi aprendizado.
Chorou muito?
Foi limpeza da alma.
Ficou com raiva das pessoas?
Foi para perdoá-las um dia.
Sentiu-se só por diversas vezes?

É porque você fechou a porta até para os anjos.
Acreditou que tudo estava perdido?
Era o início da sua melhora.
Onde você quer chegar?

Ir alto?
Sonhe alto.
Queira o melhor do melhor.
Se pensarmos pequeno
Coisas pequenas teremos.
Mas se desejarmos fortemente o melhor e
Principalmente lutarmos pelo melhor
O melhor vai se instalar na nossa vida.

Carlos Drummond de Andrade

Reciclando embalagens de presente



Sabe aquelas embalagens de presente que você recebe nas grandes lojas de departamentos?
Uma pinturinha e elas podem ser totalmente transformadas!
Carinho e diversão...

Luz

Tive um péssimo dia, hoje. Um daqueles...
E quando tudo parecia descer ralo abaixo
Como que por encanto
Sem mais, nem porque
Deparo-me com criaturas iluminadas
Que enchem um dia de ternura
Lembrando que sempre há porque e por onde
Sorrir

Tempo para ser feliz

"Existe apenas uma idade para semos felizes,
apenas uma época da vida de cada pessoa em que é possível sonhar,
fazer planos e ter energia suficiente para os realizar
apesar de todas as dificuldades e todos os obstáculos.

Uma só idade para nos encantarmos com a vida,
para vivermos apaixonadamente e aproveitarmos tudo com toda a intensidade,
sem medo nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que podemos criar e recriar a vida
à nossa própria imagem e semelhança,
vestirmo-nos com todas as cores,
experimentar todos os sabores
e entregarmo-nos a todos os amores
sem preconceitos nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo o desafio é mais um convite à luta
que enfrentamos com toda a disposição de tentar algo novo
e de novo quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na nossa vida
chama-se Presente
e tem a duração do instante que passa..."

Mário Quintão

Vocação pra ser feliz


Hoje faz um mês que não escrevo por aqui.

Penso um milhão de coisas para postar, mas não escrevo.

Mas o que anda martelando mesmo na minha cabeça, sem parar, é uma idéia. A de que é preciso ter vocação para ser feliz. Isso mesmo: vocação, talento.

Ou seja, ser feliz não é pra qualquer um, e tampouco depende de algo externo, algo que aconteça, algo que se compre.

Há gente que nada tem, que nunca sai da mesma rotina suada da vida e é feliz, sorri, fala com os outros de maneira aberta, gentil, sorridente, esperando que algo bom possa sair dali. Gente que enxerga a vida com os "olhos de boa".

Não se trata de bobos, ignorantes, esperançosos, Pollyanas espalhadas por ai. Mas de encarar as coisas de modo a viver bem, buscar em si mesmo onde estão as verdadeiras realizações, enxergar em cada dia um potencial de felicidade. Vocação. Talento.

Há outros que aparentemente tem tudo para ser feliz. Mas, a cada vez que alcançam aquilo em que depositaram a expectativa de realização, desfrutam por muito pouco tempo da sensação, e frustram-se, porque a busca terminou. Então projetam outra coisa, mais adiante, para alimentar a esperança de encontrar a felicidade: uma viagem, uma casa nova, carro novo...

Talvez, o que quero dizer é que a grande diferença está em SER/ESTAR feliz X TER algo que faça feliz.

Não está fora, em mais nada que não em nós mesmos. Não tenho muitas certezas, nem convicções, mas creio piamente nisto: a felicidade está nas nossas células, a cada segundo, no respirar, no pulsar, a cada maneira de reagir, agir.

Palavras como bom dia, pois não, obrigada, por favor, acompanhadas de um bom e doce sorriso são um primeiro passo.

Obrigada por ter lido estes delírios de reflexão. Agora preciso sair e sentir a brisa, deixar o sol clarear minha face, respirar fundo e ser feliz!

Pobre do Povo

Sabe aquela história de que tem sempre alguém em pior situação do que a nossa?
Pois olhe que já vi casos, mas nunca tinha escutado algo assim.

Seguia para o trabalho, num ônibus, pensando nas minha lamúrias e tristezas. Quando ouvi o cobrador falando ao motorista:

- Trabalhei muito nesta campanha eleitoral. Agora, quando o fulano assumir de vereador, abre a vaga na secretaria e eu assumo.
- É sério? Que tu quer por lá? - indagou o motorista.
- Eu vou consertar as coisas, pra melhorar a vida do Povo. Tá vendo aquele buraco na calçada? Quem é que se rala? O Povo.
- Isso é certo. - resmunga o motorista.
- A Prefeitura tem que arrumar o buraco com o dinheiro de quem? Do Povo. Quem cai lá dentro e se machuca? O Povo. Ai, entra na justiça e vai ganhar a indenização com o dinheiro de quem? Do Povo.

Eu fiquei perplexa. O tal do Povo é caso sério mesmo. Nunca vi alguém entrar na justiça pra ganhar indenização, e por fim ter que pagá-la pra si mesmo.
Eu, aqui, reclamando da vida e... tem uns e outros, como esse Povo, se ralando de verdade.
Menos mal que, pelo jeito, o amigo trabalhou bastante na eleição só pra entrar numa Secretaria do Município e ajudar o pobre Povo.

Que sorte do Povo! Finalmente...

Os "pequenos" detalhes da Língua Portuguesa

Sou uma apaixonada por idiomas. Todos! Se pudesse faria cinco cursos ao mesmo tempo, de diferentes línguas.
Não sei exatamente quando isso começou, pois na escola não era exatamente meu assunto preferido. Sempre gostei muuuito de ler. Mas a gramática, em si, não era meu foco. Aos poucos, porém, meu fascínio pelo vocabulário novo, etimologia da palavra, lógica lingüística, foi crescendo.
Ontem, via um programa desses "de mulherzinha" no canal por assinatura GNT. Gosto de vários programas do canal, mas esse era justamente um que não costumo estabilizar o controle remoto. Porém, falava do português e do francês, num determinado momento. Das palavras derivadas do francês na área da estética e moda. Pois, foi escutando um francês falar, que descobri algo para o qual nunca atentara: a palavra "maquillage" no francês, tem a supreção de pronúncia dos dois "eles", restando maquiage. No português, grafamos como se diz em francês, apenas acrescentando o "m" porque não há substantivo terminado em "ge" em português. Eu pasma, tentando verificar, com minha filha, as palavras: "coragem, carruagem, paragem, viagem...". Então porque é que nunca me explicaram isso? Não seria mais fácil para as pessoas entenderem porque é laje, com "j", e não lage, por exemplo?
Descobrimos a América graças ao francês no programa de mulherzinha. Ai, ai. A vida é mesmo surpreendente...

Urubus

Eu não queria falar sobre isso.
Este jardim não foi criado para receber peçonhas, pragas e muito menos urubus. Mas não resisti. Me perdoem.
Estou chocada com os seres humanos. Não, eu não estou falando do Lindemberg, do velho de Santa Maria, do Igor, de 18 anos que morreu com um tiro de "bala perdida" numa festa da faculdade...
Estou falando de nós. Nós que observamos. Nós imprensa. Nós que buscamos. Buscamos um caso. Caso Isabela, caso Lindemberg... Ficamos em volta, como urubus, esperando, de preferência muito sangue. E muito no que meter o pau.
Não estou defendendo ninguém. Nem polícia, nem bandido. Mas é que é impressionante! Teremos que acrescentar ao "de médido e louco todo mundo tem um pouco", no caso do Brasil, o técnico de futebol (já tão sabido) e, ainda, o policial do GATE. Viramos todos especialistas. E somos bons nisso! Convictos...
O que eu realmente acho, é que se esse tivesse sido apenas um "caso de polícia" as coisas podiam, ai sim, ser diferentes. Mas não... era o "caso lindemberg", o "caso Eloá", o "caso de Santo André", ou seja qual outro apelido dermos para a história para cobri-la 24 horas por dia, com helicópteros, especialistas, aluguéis de apartamento e contatos da imprensa com o sequestrador pelo celular! Virou um reality show! Como assim imprensa em apartamento no mesmo prédio, imprensa com o celular do sequestrador? Como podemos julgar policiais se estamos todos envolvidos nessa especulação ridícula do pior show de Truman que poderíamos criar.
Eu não sou especialista em porra nenhuma. Mas tenho medo de estar aprendendo a viver de carniça!

Royal de Luxe and The Sultan's Elephant

Royal de Luxe - A incrível companhia de marionetes gigantes de Nantes, França. Foi fundada, em 1979, por Jean Luc Courcoult. O vídeo é da performance The Sultan's Elephant.Em julho deste ano, de férias no Chile, vi fotos em uma banca de crepes, da performance realizada por lá. Que inveja dos hermanos chilenos! Quisera eu ver isto ao vivo... absolutamente mágico. Curtam!

Minha Terra tem palmeiras...


Eu adoro minha cidade, mesmo quando converso com alguns turistas e fico vermelha com algumas considerações que os mesmos fazem, e eu sei que estão certos.


É por isso que estou engajada na Rede de Amigos do Centro Histórico de Porto Alegre.


Foi em um dos encontros desta rede de amigos que eu tirei essa foto. O prédio fica na Av. Siqueira Campos, e estávamos no 21º andar.

Cenários


A noite entra pela minha janela criando cenários de sombras...

O emaranhado das orquídeas é uma floresta, e por aqui me acho

e me perco.

Charadinha matemática

Hoje estou de aniversário. O dobro da idade que faço é o meu ano de nascimento (dois dígitos, claro)...

O que fazer com R$ 0,01


É isso mesmo. Complementando o post anterior, no Brasil, há uma lei que exige que os correios realizem o serviço de "Carta Social", o que faz com que você possa enviar cartas para os seus amigos por apenas um centavo de real.
As regras:

CARTA SOCIAL

1. postagem máxima de 5 (cinco) objetos por remetente;
2. limite máximo de peso igual a 10(dez) gramas;
3. endereçamento (remetente e destinatário) efetuado de forma manuscrita;
4. mensagem envelopada, não se admitindo utilização de envelope tipo "data-mailer", com janela, com timbre de pessoas jurídicas ou com inscrições promocionais impressas no envelope. É admitida a utilização de envoltório por dobramento de papel (invólucro obtido mediante dobras de uma única folha de papel ou confeccionado pelo próprio remetente).
5. menção "carta social" aposta pelo remetente no canto inferior esquerdo do anverso do envelope, acima das quadrículas reservadas à indicação do CEP;
6. franqueamento realizado por meio de selos ou estampa de máquina de franquear;
7. não utilização de qualquer serviço adicional ou acessório;
8. remetente e destinatário devem ser pessoas físicas;
9. entrega em âmbito nacional;
10. tratamento de objeto urgente.


Olha só: ainda dão tratamento de objeto urgente... Viu só como é importante a gente se comunicar? Você ainda não escreveu uma cartinha para alguém querido? Tá esperando o quê?

Mandando letras sobre o papel


Lembro-me bem da sensação maravilhosa de abrir a caixa de correio, quando pequena, da casa onde vivia com meus pais e irmãos, e receber uma carta, um cartão postal, um pacote. O coração pulsando forte, enquanto abria o envelope ou embrulho ou, tentando decifrar a letra de quem enviava.
Havia tanto da pessoa, do momento, do sentimento, na forma como escrevia, na maneira como consertava erros, nos detalhes que se acresciam à composição no papel.
Amei tanto, cada um destes momento, que guardei tudo, absolutamente tudo o que recebi pelo correio.
Hoje relembrei esta alegria, ao mandar para uma amiga um cartão postal cheio de minhas letrinhas. Ela mora na mesma cidade que eu, nos falamos pelo telefone e nos vemos pessoalmente algumas vezes até. Mas isso não diminui em nada a delícia que é recuperar este sentimento e fazer este carinho para alguém.
Mande você também uma carta, um cartão postal...
Não sabendo para quem, minha caixinha de correio está de "porta aberta".



"Como guias que à distância podem comunicar
espaços, os monumentos e a arquitetura a serem
visitados e admirados, os postais acabam por
fundar, na repetição das imagens, o hábito."
Schapochnik

Acreditar

Tenho uma teoria, baseada e formulada apenas na experiência empírica, de que o segredo de cada um de nós para viver bem e ser o que se quer ser é a auto estima. Construída desde muito cedo, muito mesmo. Quando acreditamos que podemos chegar lá, não tem tremor, dor de barriga, suor frio e seja lá o que for que nos impeça de tentar.
Acho que é por isso que me emociona a história de Paul Pott, que tem se espalhado por e-mails e blogs mundo virtual afora. Eu serei mais um a divulgar, mas porque realmente me emociona.
Paul sofre com a baixa estima desde cedo. Era um menino gordo, dentuço, desajeitado e sem aparente talento. Foi massacrado na escola, cada vez por um dos motivos listados, ou por todos eles. Nascido em Bristol, Inglaterra, filho de um motorista e de uma caixa de supermercado, ele mesmo trabalhou como estoquista e vendedor de celulares.
Muito sozinho, fazia algo que muito de nós praticamos: canto no chuveiro. Desconfiado de que podia aprender mais sobre música, essa companheira fiel que lhe dava tanto prazer, em 2000, juntou a grana que ganhou como prêmio num concurso de perguntas e respostas para ir à Itália, assistir a uma apresentação de Pavarotti e estudar a língua de seu ídolo. Foi então que começou a pensar que poderia sonhar em ser um cantor de ópera. No entanto, no período, teve várias complicações de saúde, tendo que fazer cirurias e tratar um câncer.
Até que, já com 37 anos, juntou forças e resolveu participar de um concurso, o Britains Got Talents, uma espécie de "Fama" da TV inglesa. O concurso é como todos os outros de TV: um formato idiota, cruel, que busca mais o sarcasmo dos jurados, um certo sensacionalismo, e a diversão com os mais ousados e com pouco talento.
Mas o cara supreende a todos, imagino que até a si próprio. Enfrentando todo o seu histórico, a platéia, os jurados e os telespecatadores, vestindo um terninho barato, ele abriu a boca e começou a cantar, controlando o pavor.
Hoje ele é muito conhecido na Inglaterra e pelo mundo afora.
Eu me emociono ao ver a cena do concurso. Repare como os jurados começam discrentes, quando o rapaz diz que vai cantar ópera. Depois, vale a pena vê-los boquiabertos.
Confira:

Despir-se e ser feliz!

Por aqui, a primavera!

Devo saudá-la com entusiasmo e respeito.

Durante seu reinado cheguei a esta vida.

Deve se por isso que tanto me alegro

Com a simples data do mês de setembro!

"Já a tília começou a despir-se na luz branca que se inclina."
Poéticas palavras-imagens de
Ana da Palma.
"Se as Tílias fossem gente, apaixonavam-se por um
Carvalho feliz, e viviam felizes para sempre."
Certezas de Rosa

Centro Histórico de Porto Alegre


Pouca gente sabe, mas o Centro de Porto Alegre tem nova denominação: Centro histórico.
Esta, que é a zona mais antiga da cidade, recebeu o novo nome, por força de Lei, através de uma iniciativa do COMPAHC - Conselho Municipal do Patrimônio Histórico Cultural, passando à nova denominação oficialmente – conf. Lei Mun.10364/08 - em janeiro deste ano.
Mais que uma nova forma de chamar a região, um grupo de cidadãos, representantes de entidades e instituições, empresários e moradores do Centro Histórico reúnem-se para criar iniciativas e ações concretas que possam modificar a relação dos cidadãos daqui e turistas com essa bela região que, apesar dos inúmeros atratativos e locais de inquestionável beleza, sofre com diversas agruras.
Acompanhe as notícias sobre as medidas que estão sendo tomadas e, tendo vontade, participe do calendário de encontros do Grupo de Trabalho Centro Histórico de Porto Alegre.
Vou manter este espaço atualizado. Vamos divulgar!

Gente boa


Adoro dar dicas de gente séria (mas bem-humorada), honesta e competente no que faz.

Querendo fazer cursos ligados à fotografia?

Câmera Viajante.

Clica na belíssima imagem de POA feita pelo Rogério Ribeiro e escolhe o curso.

E boa viagem!

Molho Pesto


Uma amiga pediu, e eu mandei por e-mil. Mas como sempre respondo a essa pergunta, já que sou uma viciada em manjericão, resolvi postar a receitinha básica de molho pesto que faço.

Como disse, eu gosto do de manjericão, e como é quase impossível achar piñoles por aqui, faço quase sempre com nozes, embora já tenha provado com avelâs, castanhas ou amêndoas e ache o resultado bem interesante também.

Há milhares de outras receitas, sei que dizem que o oficial mesmo deve ser feito com queijo pecorino e amassado no pilão. Mas, para mim, oficial é que a gente faz com prazer e gosta! Então, é isso que vou postar aqui...

Pra mim há dois segredos essenciais para qualquer coisa que se faça na cozinha:
- Bons ingredientes;
- Curtir o que se está fazendo com os cinco sentidos!


Eu opto quase sempre por:
- Manjericão comum e italiano comprados na Feira Ecológica de sábados
- Azeite de Oliva com até 0.5 de acidez
- Queijo parmesão uruguaio comprado na Banca 26 do mercado público
- Nozes da mesma banca (ou, muito melhor, fornecidas pela amiga lá de cima, trazidas de sua terra natal...)

Colocar no liquidificador o azeite de oliva, as nozes, o queijo parmesão e o alho, pulsando só até que as nozes fiquem em pedaços grandes. Desligar o liquidificador. Acrescentar as folhas do manjericão (sem talos, flores e brotos - estes últimos deixm o pesto muito amargo - são aquelas bolinhas mais duras, junto às extremidades e às folhas mais miúdas). Mexer bem com uma colher e só então pulsar novamente. Repetir a operação até que todas as folhas de pesto tenham sido acrescentadas. Colocar num recipente de vidro que tenha sido esterelizado (fervido em panela com pano no fundo e seco ao natural). Depois de colocado todo o pesto acrescentar um fio do azeite de oliva para "selar" bem. Sempre que o consumir verificar se não é preciso acrescentar o fiozinho de azeite. Guardar fora da geladeira.

Bon appetit!

Do local que ocupas em minha vida

Para Tábita

Não, hoje não é um dia triste.
Talvez um dia egoísta.
Eu que acostumei-me a dosar pílulas tuas -
tentativa de manter a sanidade da alma.

Devo sentir tua falta,
devo estranhar tua ausência,
e a dos teus passo no corredor.
Vou buscar, em vão, teus olhos inquietos.

Tirar-te-ei, no entanto, apenas deste cotidiano,
Desta pasmaceira surreal,
Do non sense e do cruel.
Desse monstro que tenta sufocar a fé.

Serás pra mim, daqui por diante,
um bom convite, uma vontade,
o gosto de partilhar apenas o que se quer.
Serás a possibilidade real da amizade.

Tempero da vida

"Às vezes, devemos usar os temperos errados para provar um ponto de vista. Adicionar algo diferente."


"Tanto a comida como a vida requerem sal para se tornarem mais gostosas."

Cominho é um tempero muito forte. Deixa as pessoas introspectivas. A canela faz as pessoas olharem umas nos olhos das outras. Se quer dizer 'sim', então adicione canela."

"Vovô dizia que o termo 'gastronomus' contém o termo 'astronomus'."

"A pimenta é quente e queima como o sol. E o sol vê tudo. É por isso que a pimenta vai bem em todas as comidas."

"Afrodite era a mais bela de todas as mulheres. E Afrodite é a canela. Doce e amarga como todas as mulheres."

Apenas algumas frases de "cinema gastronômico": o filme O Tempero da Vida. Um belo filme grego, com trilha sonora que merece aplausos à parte (Evanthia Reboutsika).


Saboreie sem moderação...

Dialética



"Aufheben era o verbo que Hegel preferia, entre todos os verbos do idioma alemão. Aufheben significa, ao mesmo tempo, conservar e anular; e assim presta homenagem à história humana, que morrendo nasce e rompendo cria."


Eduardo Galeano - O livro dos abraços.

Um bom lugar


É irresistível a barbearia com ares da década de 1930, café ao lado, e um cardápio de chef...

Estou falando do Caffè del Barbiere, na Jerônimo Coelho, 188 - Centro de Porto Alegre.

Ladrilho hidráulico, móveis de madeira de demolição, sanduíches deliciosos com um bom café, ou almoços, delicadamente planejados pelo chef Chef Marcelo Schambeck , às quartas e sextas.

Passa lá!

Caminhos...


"Viajar é fatal para preconceitos, para o fanatismo e para as mentes estreitas".

Mark Twain

Para onde vamos?

Se no passado disséssemos:
- No futuro, as pessoas de bom senso, preocupadas com a saúde e bem estar, caminharão, num percurso, normalmente em círculos, por um tempo determinado de seus dias, preferencialmente 4 vezes por semana.
Tenho certeza que quem nos ouve diria:
- E para onde estariam indo?
E nós:
- Para lugar algum. Seria apenas para cumprir a quota diária de exercícios.
- Então o trecho que percorrem para deslocar-se ao trabalho, às escolas dos filhos, ao vizinho, para visitar familiares e amigos já não será suficiente?
- Não. É que farão tudo isso sobre rodas, sem mover as pernas, e, por isso, terão que separar um momento do dia para caminhar em círculos...


(?????????)

É... tenho um certo problema quando retorno à atividade física. Muita filosofia!

Elogios

Nunca fui boa com elogios.
Não, não para distribuir, mas para recebê-los.
Desconfio deles.
E não acho que minha auto-estima não seja legal.
Simplesmente, às vezes, acho o motivo do elogio banal.
Porém, essa semana, recebi um elogio que seria daqueles pra lembrar e responder em entrevista "bate-bola": Que elogio te deixou feliz?"
Um colega de trabalho exclamou, do mais e sem nada:
- Puxa, deve ser tão bom ser teu filho, teu pai ou mãe...
Fiquei vexada, como de costume, mas muito feliz. Esse me toucou de verdade.
Espero que os respectivos citados concordem com ele. De minha parte posso afirmar:
É muito bom ser filha de meus pais e mãe de meus filhos!

A vida real e a verdadeira viagem


Mais de mês, uma reforma em casa, e uma viagem para o Chile depois, estou de volta à vida real.
E volto a escrever.
O mais de mês foi agitado, como se pode ver pelos itens que o seguem;
À reforma em casa, sobrevivemos;
Uma viagem para o Chile depois é que parece ter feito toda a diferença.
Em muitas coisas. Parece que posso enxergar as transformações que vão se processando a cada novo instante, informação, paisagem, diálogo, troca.
Como diria Marcel Proust, "A verdadeira viagem de descobrimento não visa apenas ver novos lugares, mas sim enxergar com novos olhos".
Obrigada C., T.3, A. e B. por fazerem parte desta jornada.

A difícil tarefa de educar

Tá fácil. Já não é preciso pensar em educação. Gastar horas e neurônios pensando em formação, raciocínio, compreensão, aprimorando condutas. Basta proibir...

Proibimos as carroças, proibimos direção e qualquer dose de bebida, proibimos álcool nos estádios, fumódromos, celulares em sala de aula.

Deviam proibir público nas salas de cinema.

Pais e filhos, sem a menor noção de convivência em sociedade, freqüentam as salas. Fala-se alto, ao telefone, corre-se na frente da tela, chuta-se a cadeira de quem está na frente, o filho chora, pede pra sair, e o pai ignora... não sei para que perdemos tempo matriculando estas crianças em escolas.

Ah, no meu mundo...


"No meu mundo você não diria miau,
Você diria: - Sim, Dona Alice.
Porque se esse mundo fosse só meu,
os animais falariam
as flores cantariam
Ah, no meu mundo!"


Alice no País das Maravilhas
Lewis Carrol


E você, como seria o SEU mundo?

Você sabe a resposta?

Modelo

Trago comigo muito amor ao meu estado de origem, muita vontade de vê-lo realmente vibrante, forte e justo.

Sempre tive, porém, diculdade para cantar o hino do estado em função da seguinte frase:

"Povo que não tem virtude,
Acaba por ser escravo."

Bastante preconceituosa, na minha opinão, e que insinua algo com o que não concordo.

Mas confesso que, na atual conjuntura política do RS, o que não está realmente passando é:

"Sirvam nossa façanhas de modelo à toda terra".

Dia dos namorados

Você acaricia-lhe os cabelos,
sem motivo aparente,
sem data, sem esperar nada?

Olha no fundo dos olhos,
reparando em detalhes
respirando, inspirado, em ode?

Saiba que ela espera,
independente do tempo
São possibilidades,
Ou mera necessidade?

Tricot para acidentados


Há uns anos, para alegrar minha filha (então com 10 anos) que havia colocado gesso na mão em função de um dedo quebrado, fiz uma tipóia de tricot, com direito a listras, coraçãozinho e lã pink mesclada.

Também foi a oportunidade para testar, pela primeira vez, fazer um I-cord de tricot. Não parei mais de usar na minhas receitinhas...

Ela adorou usar a tipoia, e foi uma forma fofa de ver as coisas de um jeito mais divertido!

Shakespeare para crianças


Essa é pra quem tem filhos, ou apenas curte teatro de boa qualidade. Voltou a cartaz a peça "A Tempestade e os mistérios da Ilha", adaptação da obra homônima de Shakespeare, encenada pela Santa Estação Cia de Teatro e dirigida por Jezebel de Carli.

Uma obra!

Lembro-me de ter escrito um e-mail para várias pessoas no ano passado falando da minha surpresa ao sair do teatro. Meus filhos simplesmente amaram! Eu?, sai do teatro muito feliz de ver tanta qualidade (e por termos nos divertido tanto). A adaptação é ousada e nada óbvia, a direção é rica, milimetrada, os atores, um melhor que o outro, figurinos, cenário, iluminação, trilha sonora,tudo do bom e do melhor. Não deixe seu filho perder essa chance.

Teatro de Câmara - Rua da Répública, 575, sábados e domingos às 16h, até 29 de junho.

No conservatório de dança

Quem é essa que tanto conheço,
Tão resoluta, compenetrada,
Quem é essa que tanto se parece,
Mas em quem não me reconheço?

Onde estão minhas falhas?
Onde estão meus defeitos?
Duas décadas menos
Onde está esse tempo?

Tão segura de si
Equilíbrio nas pontas
nos caminhos, nos meios

Não exibe, não compete
Desafia-se e vence
Ela dança, ela dança,

Eu aprendo.

Consumidor - cidadão

Na zona Sul de Porto Alegre, há duas grandes redes de supermercados: o Zaffari Bourbon e a Wall-Mart (com os supermercados Nacional e BIG). Quando quero exercitar meu lado "consumidorcidadão", vou na última. É um ótimo exercício, mas há que se avaliar se não estão muito altos seus níveis de estresse e pressão sangüínea. Uma incomodação, no mínimo, por vez, é garantida.

A última:

Compro Corn Flakes, da Kellogs. Estou apaixonada pelas embalagens que trazem imagens de antigas, produzidas para o cereal.


Resolvi aproveitar a promoção:



Repararam? Na compra de duas embalagens o adoçante, grátis.

Pois é. Mas o preço da promoção era R$ 2,18 superior ao de duas caixas separadas do produto.

Alertei, no caixa, para o problema "matemático". Quase 20 MINUTOS DEPOIS, tive o desconto no MEU cupom fiscal:


Mas, ainda que tivesse salientado que, além desse cereal, outros da mesma marca tinham essa incongruência de preços, nada foi feito para alterá-lo na prateleira, e outros consumidores, mais distraídos e desavisados, estão comprando gato por lebre. Isso me deixa fula da v. Mas isso é BIG. "Provoque sua paciência até não agüentar mais, ai acabe com ela com BIG!"

Argh!

Pega mal pro supermercado, pra Kellogs e de quebra, até para o adoçante Linea. Quem pode fazer algumas coisa com essa picaretagem (que é recorrente em promoções do tipo no BIG)?

O Grito

Das outras vezes em que estive em São Paulo, acabei, por um motivo ou outro, não indo ao Museu Paulista (mais conhecido como Museu do Ipiranga).

Uma das coisas que me impedia de fazê-lo, acho eu, é que o povo assusta um pouco, dizendo que não se chega de metrô, é longe, etc.
Bobagem.
Coisa muito simples. Desce-se na estação Alto do Ipiranga do metrô (aproveitando para conhecer esta que eu acho é a mais bela estação de metrô de São Paulo - fora a Luz, claro):

Em seguida, pegue o ônibus elétrico (tipo Trolibus) Gentil de Moura (linha 113) e peça para descer próximo ao Museu (na Av. Nazaré).

Assim você não vai deixar de conhecer isso:

E isso:

Viram que rola até um arco-íris, presenteado pelas fontes que habitam os inscríveis jardins?!

E ver o belo acervo do Museu (belo na proporção do que temos no Brasil sobre nossa história...).

Mas se você é como eu, e gosta de levar alguma coisinha de todas as lojinhas de Museu que visita pelo mundo (no meu caso lápis, para a coleção), não vá entre meio-dia e 14h. Parecendo um museu de pequena província (e não de uma cidadezona como São Paulo), a lojinha do Museu Ipiranga FECHA nesse intervalo para almoço (?!). :(

Feriado em São Paulo

Estou, desde o dia 21, com filhos e marido, em São Paulo. Não, nós não fomos para a Parada Gay. Se bem que estava bem divertido participar deste momento alegre...
Volto a postar depois, com alguns comentários sobre fazer turismo em SP (com crianças...).

Vento Sudeste

E ele que sempre fora do verão, chegou no inverno
Não como um sopro forte, que destrói vidas
Veio como a brisa, quase num murmúrio
Sem ferir a pele, sem abrir feridas

Então de constante e suave
Derrubou portas e invadiu minh'alma
Sem pedir licença, inundou recônditos
Dominou minha mente, agitou a calma

E de tão distante, posou resoluto em meu colo
Trazendo a lembrança de um tempo terno
Cobrou sem dolo um sentimento quieto
Como se fora certo, como se fosse urgente
Como se não fosse inverno

Fatiando CDs

Li o seguinte anúncio:
Fragmentadora Aurora de Papel,cartão e CD em Tiras

Fragmentadora de papel, cartão e CD. Corta até 8 folhas A4 75Gr ou 1 CD ou 1cartão por vez em tiras de 6mm. Cesto com capacidade para 46 folhas. Cesto com rodas. Nível de segurança 2. 110v.

Já imaginaram?! Queria uma dessas só pra inventar coisas com CDs fatiados...

Amélia é que era mulher de verdade

Minha amiga dona de casa,


Você que não consegue manter limpas e brilhosas as suas queridas panelas de aço inox...?

Há tempos ficava frustada pois não conseguia tirar as manchas amareladas que insistiam em surgir nas minhas caríssimas (de bem quistas e de salgadinhas no preço também) panelas de inox. Tentei todas as dicas indicadas pelo fabricante e na internet que encontrei. Mas nada! Pois foi que me lembrei que, quando era adolescente, alguém me ensinou a limpar meus anéis de prata com pasta de dente.

Sim, meu senhor, minha senhora. Me coloquei a esfregar as panelas com meu tubo de Colgate, e tcham, tcham, tcham, tcham. Algumas esfregadelas em círculo depois: lindas e brilhosas!

Agora a pasta de dente também é item obrigatório na minha cozinha!